Saiba quais são as tendências de organização dos estudos

saiba-quais-sao-as-tendencias-de-organizacao-dos-estudos.jpeg

Você é um desses jovens que trabalha e estuda e mal tem tempo de pegar nos livros? Tem dificuldades para a organização dos estudos, mas tudo o que mais quer é se dar bem na faculdade? Pois saiba que a organização dos estudos tem efeitos muito positivos!

Pois é, nessa correria do mundo moderno, muitas vezes, nos pegamos desesperados, correndo contra o tempo e sem conseguir organizar as ideias. Resultado: os estudos vão sendo deixados de lado e, consequentemente, as notas também.

Para evitar que isso ocorra, alguns artifícios têm tido efeitos bastante positivos no sentido de estabelecer alguns padrões para organizar os estudos, combinando a evolução do mundo digital e as exigências de mercado. Veja abaixo:

Aplicativos como melhores amigos

Se você ainda não conhece aplicativos de educação, é melhor se apressar. Existem milhares de apps interessantes e totalmente gratuitos, que ensinam determinadas disciplinas, temas e subtemas de forma prática e divertida.

Um dos links mais famosos entre os estudantes de todo o mundo é o Youtube Educação ou simplesmente Youtube.edu, que reúne os melhores conteúdos educacionais do YouTube.

O Coursera, uma plataforma aberta com cursos online, criada pelas melhores universidades dos Estados Unidos – Stanford, Michigan, Princeton e Pennsylvania – oferece três tipos de modalidades para os brasileiros: cursos brasileiros completamente em português, cursos completamente traduzidos e cursos em inglês com videoaulas traduzidas.

Entre as vantagens dos sites de educação, estão a alta qualidade do ensino e a organização dos vídeos, com base, por exemplo, nas disciplinas do ensino médio.

Informações compartilhadas na nuvem

Em muitos momentos, as rotinas feitas tradicionalmente em sala de aula estão sendo substituídas por ferramentas baseadas na internet e, principalmente, em aplicativos comuns a alunos e professores.

Geralmente, são deveres de casa, simulados, apresentações em sala de aula ou algum recado que o professor queira dar em arquivos comuns a toda a comunidade acadêmica, a exemplo do Google Docs.

Além de alunos e professores poderem compartilhar o mesmo documento, ambos podem produzir exercícios e se beneficiar de novos conteúdos em tempo real.

Mapas mentais para cada disciplina

Você conhece a técnica de mapas mentais ou mapa de ideias? Ela é utilizada por estudantes e funcionários que querem organizar sua rotina, um trabalho ou projeto.

Muitas pessoas usam papéis de cores diferentes ou canetas coloridas. Se ainda preferir, pode usar os post-its (aqueles papeizinhos autocolantes coloridos), que funcionam muito bem.

Caso seja um tema relevante – como a Segunda Guerra Mundial ou um projeto de gestão, por exemplo – escreva o título no meio da folha e vá espalhando temas e subtemas. Embaixo de cada subtema, vá listando assuntos relacionados e interligando cada um dos assuntos.

Além disso, os mapas mentais ajudam a ter um panorama geral que pode ser consultado de tempos em tempos, o que auxilia na fixação do conteúdo. Isso pode ser feito em matemática, biologia, química, português (no caso dos estudos) ou em administração, gestão, economia (no ambiente do trabalho) e por aí vai.

Trabalhos coletivos

Não há como negar que a construção coletiva do saber é muito mais interessante do que esforços individuais. Expor um problema ou uma dúvida em sala de aula ou na empresa pode suscitar contribuições surpreendentes dos colegas para a solução da questão.

Algumas ferramentas, como Evernote, Trello e Qmágico personalizam os estudos e podem ajudar na hora de organizar conteúdos dados em sala de aula, numa espécie de caderno colaborativo construído em conjunto e com a supervisão do professor/chefe.

Soluções para problemas reais

O estudo feito a partir da exposição de problemas reais (aprendizagem baseada em problemas) é um método bastante eficaz para memorizar o conteúdo.

Além de partir de questões verdadeiras, o estudante pode explorar a realidade que envolve o tema, em vez de criar situações hipotéticas, que, muitas vezes, podem fugir ao tema.

Um dos melhores testes com problemas reais são os simulados, muito utilizados durante a preparação para as provas do Enem, por exemplo.

E então? Gostou deste tema? Que tal ler outro de nossos artigos? Dê sugestões e participe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *